Itália evitou ciberataques pró-russos durante o Festival da Eurovisão

Autoridades italianas confirmam ter conseguido evitar ataques informáticos perpetrados por hackers pró-Rússia durante a semifinal e a final do Festival da Eurovisão


Pretende partilhar este texto? Utilize as ferramentas de partilha que encontra na página de artigo. Todos os conteúdos da VISÃO são protegidos por Direitos de Autor ao abrigo da legislação portuguesa. Apoie o jornalismo de qualidade, não partilhe violando Direitos de Autor.
https://visao.sapo.pt/exameinformatica/noticias-ei/mercados/2022-05-16-italia-evitou-ciberataques-pro-russos-durante-o-festival-da-eurovisao/

Enquanto aconteciam as atuações do Festival da Eurovisão na fase semifinal a 10 de maio e mesmo na final de sábado, grupos de piratas informáticos desmultiplicavam tentativas de ataques contra diversas infraestruturas. Os hackers, favoráveis à Rússia, fazem parte dos grupos Killnet e da afiliação Legion, informa a Reuters.

As autoridades italianas confirmam as tentativas de ataque e explicam que conseguiram bloqueá-las com sucesso. A polícia monitorizou ainda grupos de Telegram pró-russos para evitar outros ataques e conseguir localizar as tentativas.

A 11 de maio, no entanto, o grupo Killnet alegou ter conseguido atacar as páginas de várias instituições italianas como o Senado, o sistema nacional de saúde e a agência de notícias ANSA.

Desde que começou a invasão russa da Ucrânia, têm sido mais frequentes os ataques de militantes pró-Rússia e as defesas e jogadas de antecipação das autoridades ocidentais.

Recorde-se ainda que a atuação ucraniana acabou por vencer o Festival da Eurovisão, com a música Stefania, interpretada pela Orquestra Kalush.

Formação Relacionada

ciberataques, pró-russos, Festival da Eurovisão

(2022) Itália evitou ciberataques pró-russos durante o Festival da Eurovisão. Recuperado a 2 de Junho de 2022 em https://visao.sapo.pt/exameinformatica/noticias-ei/mercados/2022-05-16-italia-evitou-ciberataques-pro-russos-durante-o-festival-da-eurovisao/